Quem é Patassaura?

A Patassaura é a gata que chegou primeiro, em fevereiro de 2017. Ela adora lugares altos, cordões para caçar e, lógico, sachês e biscoitinhos. Ela tem a balançada de cabeça mais engraçada do mundo, e adora se enrolar em sua humana – e em qualquer coisa que parecer proibido para ela.

Patassaura e Amora contribuindoMais reservada, não gosta muito de visitas, prefere o abrigo do fundo do armário. Adotou a Amora como sua irmã, mas as vezes é possível ver uma expressão de: “Por que a gente pegou ela mesmo?” quando a Amora insiste em atacar. Mas, acaba gostando muito dela, e até tem um bigodinho branco que trocou com ela.

Adora sua humana, ronrona e amassa seus biscoitinhos só de ver que estou chegando perto. Também não gosta muito de ter sua manchinha branca na barriga atacada, mas suas mordidas são bem mais leves que a da irmã. Também gosta muito de acompanhar de perto todo o processo criativo, desde os estudos até a finalização.

Ah, Patassaura é um nome inspirado no desenho “Em Busca do Vale Encantado” ou LitteFoot, de 1988. Você pode ver a Patassaura Original para matar sua curiosidade.

 

Anúncios

Quem é Amora?

A Amora chegou em março de 2017, com dois meses de idade. Uma gatinha completamente diferente de todos os outros 7 que já tive. Ela gosta muito, muito mesmo, de humanos. E adora conversar. Mia o tempo todo, em tonalidades diferentes (que só eu sendo a Humana dela para entender cada um deles), expressando seus sentimentos das formas mais meigas possíveis. Ela é sapeca, tem bigodes tão grandes que fazem cachos e pelos tão macios que dá vontade de viver abraçadinha com ela, o que rende diversos protestos de sua parte – principalmente se você decidir encostar no barrigão branco gostoso.

Amora sendo fofa, dormindo na Patassaura

Seu jeitinho acabou conquistando sua irmã mais velha, Patassaura, que também passou a ser mais meiga e miante. Amora, Mia e Patassaura responde. Agora, elas são tão inseparáveis, que a Amora tem um bigodinho preto que pegou emprestado da Patassaura.
A Amora adora dormir na rede da minha cadeira, observar a costura bem próxima da estante e subir na tábua de passar roupa, principalmente enquanto eu estiver usando. Mas é tão doce, que é impossível brigar com ela.
E toda essa meiguice que inspirou a loja e seu nome!

Planilha para Precificação de Artesanato – GRATUITA

Incio VideoOie Comunidade Criativa!

Eu sou a Marília Gambi, ou Mia, e sou a idealizadora, criadora, designer, compradora, costureira, administradora, vendedora, estoquista, empacotadora…  É acho que só isso, da marca Amora, Mia! Couture Créative.

Para acompanhar esse texto, você pode assistir essa vídeo aula no YouTube.

Nessa área artesanal, acabamos sendo tudo o que nosso negócio precisar, a cara e alma da nossa marca. E como somos esses seres meio híbridos, e com uma tendência mais criativa, acabamos nos enrolando um pouco na parte burocrática. Uma das partes em que tive mais dificuldade foi a definir o preço que iria cobrar pelos meus produtos.

Quando terminei minha primeira peça e anunciei em um site de vendas coletivas, pensei tanto em trazer um preço atrativo que não me atentei se esse o valor cobrado me traria algum retorno. Fiquei tão preocupada em vender logo que não contei com a comissão ou se havia taxas da financeira que por pouco a peça não me trouxe prejuízo.

Decidi procurar pelo Google e assistir alguns vídeos, mas tudo que encontrei eram planilhas complicadas, voltadas para produção de peças em larga escala, o que não é o nosso caso – nossas peças são únicas, exclusivas e repletas de todo o amor que dedicamos ao nosso trabalho. Além disso, as planilhas não tinham uma carinha bonitinha, voltada para quem produz coisas bonitas.

Quando entrei em alguns grupos de produção criativa, percebi que vocês também enfrentam a mesma dificuldade que eu tive para definir um preço justo, que pague os materiais que utilizamos, nos traga lucros e, ainda assim, atraia clientes e vendas.

Pensando em alguns sonhos que a Amora, Mia! Tem, que é ajudar pessoas e fazer coisas bonitas, me inspirei para criar uma Planilha Bonitinha e que fosse funcional para vocês, comunidade criativa, e contribuir – mesmo que um tiquinho – com os sonhos de vocês.

Para tornar tudo mais simples, a segunda aba da planilha tem uma tabela que converte o valor dos pacotes, ou potes, em unitário. Também tem uma tabela de conversão de frações, porque o Excel não aceita quando colocamos frações, então deixei ali para tentar facilitar um pouquinho mais.

Ah, eu utilizei alguns ensinamentos do site Arte com Papel” e deixei o link da postagem deles  para vocês visitarem.

A Fórmula que encontrei para o Equilíbrio foi:

Custos de Material + Custos de Embalagem + Custos de Produção. Nessa Soma, encontramos nosso Preço de Custo, englobando tudo que investimos nessa criação.

E, então, pegamos esse preço bruto e multiplicamos pelo Lucro. Aqui, já temos um preço para venda em dinheiro, sem intermédio de sites.

Depois, calculamos os valores das taxas, como comissão dos sites ou da taxa da financeira. E, aí sim, conseguimos encontrar nosso Preço Final.

A Tabela “Custos com Materiais” e “Custos com Embalagens” com deve conter tuuuudo que utilizamos em cada peça, até botões ou mesmo as linhas – indo até ás embalagens em que entregamos nossas criações. Mas, somente o quanto utilizarmos em cada peça – e é ai que entra nossa “Aba de conversão” e as Tabelas “Conversão de Medidas” e “Equivalência de Medidas”.

A Tabela “Custos de Produção” já conta com itens que investimos para produzir a peça, Custos que não são materiais, como o valor da nossa hora trabalhada – sim, é muito importante cobrarmos por cada minutinho que dedicamos aquela peça, pois eles incluem toda uma formação e outras demais horas que gastamos aprendendo e desenvolvendo aquele pedacinho de nós.

Uma forma para calcular essa hora, é pensar como se fosse um salário, e dividir pela quantidade de horas que trabalharíamos em um mês, e aí, temos um valor de trabalho por hora. E, então, conseguimos determinar quanto tempo gastamos naquela produção.

Usamos essa mesma fórmula para calcular outros gastos que temos para manter nossa marca aberta, como Aluguel, Internet, Anúncios, Água, Luz e Impostos. Aqui, importante ressaltar que calculei o valor pago de imposto mensal para uma Micro Empresa Individual, e também considerei que estamos vendendo para pessoas e não lojas ou revendas. Nesse caso, somos isentos de pagar taxas de nota fiscal.

Agora, chegamos na parte final! Na Aba “Preço Final”, já temos a soma de tudo que preenchemos na planilha anterior. Aqui, vamos definir o quanto queremos de lucro em cima dos nossos custos totais.

O lucro é muito importante, e não podemos o descartar. Ele pode ser usado para reinvestirmos no nosso sonho, ou comprar máquinas e ferramentas novas, e até cursos ou moldes novos, que ajudam a refinar nosso conhecimento. O lucro geralmente é de 30% a 50%, e você define na nossa tabela de Taxas o quanto acredita que seja necessário, de acordo com a peça ou estratégia da sua Marca.

Também adicionei uma tabela voltada especialmente para nós, Comunidade Criativa, que anunciam em sites de venda coletiva – que cobram uma porcentagem alta pra os anúncios – e também das taxas da financeira, que qualquer site online tem.

E, tchnan! Nosso Preço Final!

Depois de já termos passado por toooda essa looonga explicação, vou mencionar o seguinte: Essa foi a fórmula que eu, Mia Gambi, desenvolvi de acordo com minha experiência e estudos. Ela serve como um guia para termos noção de quanto gastamos produzindo uma peça, coisa que perdemos de vista na hora de dizer um valor para o nosso cliente.

Caso você pense que o valor final ficou muito alto, tente avaliar se está utilizando materiais muito caros, ou verificar alguns itens que pode reduzir para tornar o preço mais rentável, mas não esqueça de que esse valor não pode prejudicar você e sua linda Marca.

Se encontrar algum erro, tiver dúvidas, sugestões ou tiver alguma ideia para uma planilha ou um vídeo novo, me mande uma mensagem, vou adorar.

Gostou? Pooor favor, comente e compartilhe.

Beijos, e boas criações!